Avião ainda utiliza disquete em atualizações críticas

Durante a reunião de hacking DEF CON, que foi feita virtualmente neste ano por causa da pandemia de covid-19, uma informação surpresa veio à tona: alguns modelos de aviões da Boeing  ainda usam disquetes em atualizações críticas, adicionando as aeronaves 737 e 747.

Por mais louco que possa parecer, grandes empresas usam tecnologias antigas, incluindo sistemas operacionais e hardware em desuso. É isso que acontece com o Boeing 747. Peritos da Pen Test Partners tiveram acesso a parte de dentro de um avião da frota da British Airways e está parado devido à pandemia. Durante a inspeção, eles perceberam um drive de disquetes de 3,5 polegadas, que, aparentemente, suporta aparelhos de 1,44 MB.

Esse recurso é usado para atualizar as informações críticas de navegação dos aviões, como a introdução de novos aeroportos e rotas ou mudanças em pistas de decolagem. Esse processo é feito a aproximadamente uma vez por mês com a uso de oito disquetes nas sessões mais recentes. Especulando que cada disco tenha 1,44 MB de capacidade, é possível concluir que a aeronave recebe aproximadamente o equivalente a 12 MB de dados por mês.

Isso deverá ser mantido durante os técnicos da empresa o considerarem viável e seguro. Como o montante de dados é pequeno e o processador de atualização é bem rápido, é muito mais simples continuar usando os disquetes do que fazer uma mudança na conjuntura da aeronave.

Aeronaves mais recentes

Os aviões mais recentes da Boeing, como o 787 e o 777, já não vêm com o uso de drive em suas cabines. Eles contam com tecnologias mais avançadas e de alta segurança, como ARINC 664.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *