Golpe do WhatsApp muda de clonagem para conta ” falsa ”

Os criminosos brasileiros mudaram sua tecnologia para realizar o famoso golpe do WhatsApp. Desde maio de 2019, a Kaspersky alerta para esse risco, que tem sido convidada por meio de anúncios online e convites VIP, mas agora a estratégia é mais simples: criar dados pessoais falsos. Esses grupos usam dados pessoais vazados e só precisam usar as fotos do perfil dos usuários do aplicativo para começar a chantagear as vítimas.

A maior diferença neste novo golpe é que aqueles com uma imagem “falsificada” não sabem que os criminosos estão usando suas identidades para chantagear. Isso ocorre porque o golpista já pode acessar os dados pessoais da vítima. Esta é a principal mudança no esquema de fraude.

Para manter a operação, os criminosos adquiriram um banco de dados contendo muitas informações pessoais, como endereços, telefones, locais de trabalho, preferências de lazer e afiliação e instruções para pessoas próximas. Os criminosos que comercializavam essas informações eram chamados de corretores de dados, e o termo acabou sendo denominado operação da polícia civil goiana executada em 9 de setembro.

One thought on “Golpe do WhatsApp muda de clonagem para conta ” falsa ”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *